Você sabe o que é E-Social?

Um assunto que andou bastante em discussão em 2018 é a implantação definitiva do E-Social, que ficou conhecido como uma obrigação legal para empregadores domésticos.

Porém, o E-Social é obrigatório a todas as empresas que possuam pelo menos 1 funcionário registrado em carteira e não apenas os empregadores domésticos.

Porém, como o grande impacto da mudança de processo e burocrática recaiu sobre quem não tinha obrigação eletrônica alguma – os empregadores domésticos – estes foram os mais atingidos, exigiu conhecer caminhos burocráticos que eram desconhecidos.

De forma geral, o E-Social veio facilitar bastante o trabalho dos escritórios e setores de contabilidade e formalizar as obrigações com outras categorias, e assim preservando direitos.

O que é o E-Social?

O E-Social é um projeto criado em conjunto por vários importantes órgãos do Governo Federal que lidam com informações trabalhistas – Receita Federal, Ministério do Trabalho, Ministério da Previdência Social, INSS e Caixa Econômica Federal – com o objetivo de concentrar a inclusão e a consulta de todos os dados trabalhistas em um só sistema.

Desde o processo de registro da CTPS até o recolhimento da parcela patronal do INSS, registro de acidente de trabalho e uma série de outros fatos e informações, tudo deve ser inserido no E-Social, respeitando o calendário fiscal de cada rotina.

Parte das informações – podemos dizer que a grande maioria – é inserida pelos empregadores individuais, setores de contabilidade de empresas e escritórios de contabilidade contratados.

E muitas são inseridas pelos órgãos do Governo, além do controle do que é obrigatório informar e o principal: a situação de regularidade de cada empregado brasileiro.

Quais as vantagens do E-Social?

O E-Social gera uma série de benefícios importantes, que não são financeiramente avaliados, mas de grande valia para o funcionamento de toda a estrutura de atendimento trabalhista do Estado e também de uso dos empregadores, advogados e órgãos da Justiça.

Agilidade para prestar as informações

O sistema permite que diversas informações sejam prestadas em um único lugar, poupando o trabalho de usar vários sistemas e até processos que ainda eram manuais. É mais rapidez para o empregador

Elimina duplicidade de informações

Cada empregado tem uma história construída a cada fato e isso ajuda a elimina a redigitação de uma série de dados e impede que um mesmo documento seja entregue em duplicidade – ao tentar inserir, o sistema avisa que o documento já existe.

Maior segurança e confiabilidade

O E-Social traz segurança, pois evita as inconsistências entre os documentos entregues. O envio é eletrônico, poupa tempo e garante a integridade das informações pelo controle do sistema.

Maior fiscalização e menor risco de sonegação

Com todos os dados, informações e fatos registrados no E-Social, o Governo consegue fiscalizar melhor e também impede (ou no mínimo dificulta) a sonegação de impostos.

Quais as obrigações trabalhistas previstas no E-Social?

Para exemplificar, abaixo estão as principais obrigações – declarações de informações, de fatos e recolhimento de tributos. Mas todas as existentes estão previstas.

  • Relação Anual de Informações Sociais (RAIS)
  • Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS)
  • Guia de Recolhimento do FGTS e de Informações à Previdência Social (GFIP)
  • Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT)
  • Livro de Registro de Empregados (LRE)
  • Quadro de Horário de Trabalho (QHT)
  • Guia da Previdência Social (GPS)
  • Guia de Recolhimento do FGTS (GRF)
  • Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte (DIRF)

Desafios de segmentos de mercado com o E-Social

O E-Social representa uma série de vantagens operacionais e legais, para empresas, empregados e Governo.

Por outro lado, diversos segmentos deverão ter uma atenção especial com seus processos, com a forma como fazem para que a transição seja a melhor possível e não haja atrasos e impactos nas datas determinadas para cada obrigação.

Os pequenos comércios como restaurantes, lojas de roupas e até mesmo as construtoras são grandes geradores de primeiros empregos, portanto devem ter atenção com o processo de registro da CTPS, do contrato de trabalho, de uma série dados iniciais e tudo com 30 dias (ou até menos) para concluir o primeiro mês fiscal trabalhista destes empregados.

 

Acho que já está na hora de você ter uma contabilidade online e atualizar sua empresa com as obrigações legais do governo.

 

Você está atualizado sobre a melhor gestão financeira para sua empresa?

Empreender é, sem dúvida, um grande desafio composto de muitos objetivos, responsabilidades e compromissos.

No Brasil, este desafio torna-se ainda maior, com uma conjuntura econômica dependente em excesso do poder público, uma carga tributária das mais altas do mundo e burocracia em excesso, consumindo tempo e dinheiro e prejudicando o planejamento e a performance dos negócios.

Por este motivo, muitas empresas acabam dedicando-se mais à gestão do dinheiro do que às estratégias de conquista de mercado e vendas, o que é prejudicial para o negócio como um todo, principalmente nas empresas onde o empreendedor tem de ser envolver em todas as questões.

Mas a realidade se impõe, e estar atualizado sobre as finanças do país e do seu setor de negócio é fundamental para uma gestão eficiente. O tempo dos negócios é cada vez mais menor, decisões não podem esperar muito.

Você está atualizada sobre a melhor gestão financeira para sua empresa? Vou dar algumas dicas valiosas para ajudar você e sentir-se mais preparada para os desafios do dinheiro no Brasil.

1 – Você tem um espaço do dia para a leitura financeira?

Decisões financeiras do governo e do mercado podem acontecer em questão de dias e até de horas. Por isso é importante estar atualizado, lendo sites, jornais e revistas online especializados em Finanças.

Eles acompanham todas as mudanças em tempo real, assim você pode entender que decisões tomar para proteger ou investir (muitas mudanças podem ser boas).

Dedique um momento fixo dos seus dias para estas leituras, e isto vai ajudar muito a se atualizar nas notícias que mais impactam seu negócio. Faça uma seleção de fontes e vá eliminando para ter no máximo 3 muito confiáveis.

2 – Que temas financeiros do seu negócio precisam de acompanhamento permanente?

Evidentemente temos de acompanhar tudo em Finanças, pois os fatos se desenvolvem em cadeia. Mas alguns temas certamente são prioritários no dia a dia do seu negócio.

Para muitos, a taxa de câmbio é fundamental – importam e exportam produtos. Para as construtoras, as mudanças nas linhas de crédito imobiliário. Para a maioria das empresas, é preciso estar atualizado sobre o salário mínimo, pois é a base de pagamentos de salários, fornecedores e contribuições.

O mais importante é colar no mural os assuntos que você e sua equipe devem acompanhar mais de perto – e muitas mudanças podem afeta-los sem que a gente perceba.

3 – Participe de eventos, e não só do seu segmento de negócio.

Pode ser um evento setorial onde a sua marca estará exposta. Excelente. Ou um ligado ao setor onde você agregará mais conhecimento. Ótimo.

Ou talvez um evento econômico. Se possível, participe também. Estar nos eventos, do seu setor ou não, ajuda muito a se manter atualizado e ouvir de outros empreendedores e autoridades informações mais objetivas do que está acontecendo.

Não precisa deixar a empresa e frequentar tudo. Mas não desperdice, se tiver a oportunidade de estar.

4 – Invista em seu networking.

Quando começamos a empreender, é natural que parte do networking se distancie, pela afinidade menor com o momento. Mas não devemos permitir que ele se afaste demais.

Ali certamente estão pessoas que também vivem o dia a dia financeiro em outras empresas e estarão sempre dispostas a um café para colocar as novidades em dia. Podem sair ótimas ideias nestes encontros onde não há concorrência.

5 – Qualifique-se sempre.

O mundo financeiro tem muitas rotinas, novas formas de gestão que não conhecemos quando abrimos um negócio. Descobrimos rapidamente, por exemplo, que um Fluxo de Caixa é tão ou mais importante do que saber onde gastamos e quanto ganhamos.

Por este motivo, é fundamental estar sempre se atualizando sobre as técnicas, atuais e novas, de Finanças para entender melhor este mundo e tomar decisões melhores.

 

 

4 nichos para você investir já no início de 2019!

O crescimento do mundo de negócios digital trouxe para as pessoas novos produtos, novas tecnologias que mudaram completamente a sua visão sobre consumo.

Consumir deixou de ser apenas ter dinheiro (e juntar) para ir a um comércio e comprar algo que provavelmente usará por pouco tempo, ou comprar por modismo ou consumismo.

Elas querem um consumo mais consciente e uma eficiência muito maior nos seus hábitos de compra, para ter dinheiro e poder consumir em outros itens que lhes dê um prazer maior.

Com isto, o mundo dos negócios precisa se reinventar todos os dias, criando soluções que acompanhem estes novos tempos. Daí surgem segmentos que podem gerar lucros muito bons e diferenciar você no mercado.

Separei 4 nichos para você investir já no início de 2019. Quem sabe em um deles não está o seu sucesso?

1 – Para investir em 2019: Economia Compartilhada

Uber e Airbnb deram a largada em um nicho onde o destaque está no modelo de negócios e não em um produto ou serviço. Aqui se vende consumo adequado – o uso pelo tempo necessário sem adquirir e por um preço justo.

Você pode alugar sua bicicleta ergométrica que virou cabide. Suas ferramentas ou aparelhos que não usa frequentemente – um nebulizador, uma impressora – e até mesmo roupas e calçados de festa.

O público-alvo prefere alugar por um tempo – um dia ou semanas – e por um preço melhor que uma loja – a base do compartilhamento é o home office, não ter os custos de uma loja.

O melhor caminho para começar é um site/blog e postagens atraentes para mobilizar sua rede mais próxima, e depois expandir.

2 – Para investir em 2019: Mercado Pet

Este já se tornou um segmento tradicional na nossa economia, mas a realidade é que ele não para de crescer porque as pessoas estão cada vez mais buscando a companhia de cães, gatos e outros animais.

E a demanda dos serviços é bem localizada – banhos, tosas, consultas, vacinas – o que ainda favorece as lojas de bairro, em que pese grande cadeias estarem na internet vendendo os mais variados produtos.

E é justamente aqui que está a oportunidade: diferenciar-se nos produtos e serviços de vizinhança e tornar-se uma referência. Algumas lojas já oferecem hospedagem, que interessa muito a quem viaja. Outras já fazem a busca e a entrega do animal em casa.

3 – Para investir em 2019: Clubes de Assinatura

Este é outro nicho focado no modelo de negócio e pode atender todos os segmentos. Você pode criar um produto ou usar produtos qualificados de um nicho – cervejas artesanais, por exemplo – e criar um clube onde pessoas pagarão mensalmente para receber uma novidade ou um kit de produtos.

Aqui a aposta está em antecipar ao máximo as novidades, a comodidade que cria a exclusividade por um tempo e, principalmente, o uso eficiente de um site/blog e das redes sociais para publicar conteúdos (artigos) e mostrar o dinamismo.

Um clube de assinatura não pode mostrar estagnação pois a ideia é cativar o cliente justamente com a expectativa do próximo envio.

4 – Para investir em 2019: Importação e Revenda de Produtos

Esse é um nicho que cresce bastante e com um fator que destaca dentre muitas outras ideias de negócio – com a globalização e a possibilidade de grandes empresas venderam itens importados no Brasil, o interesse por eles sempre estará em alta.

E você pode se antecipar às grandes cadeias com um diferencial importante: o custo de operação. É possível instalar-se em home office, começar com um cardápio pequeno de itens com tíquete alto (eletrônicos, por exemplo), expandir e tudo isso com um custo operacional muito menor que as lojas.

Dois fatores são fundamentais neste nicho: investir muito e com eficiência nas ferramentas digitais e qualificar-se bem para o negócio. Você pode se aprofundar bastante e com qualidade através do https://academiadosimportadores.com.

 

Espero que estas dicas te motivem a buscar negócios para investir já no início de 2019. Sucesso!